Mudanças entre as edições de "Cemitério dos Ingleses"

De Dicionario de Favelas Marielle Franco
Ir para: navegação, pesquisa
(Criou página com '  Autor: Fernando Ferreira CAC Machado de Assis  Cemitério dos Ingleses<br/> O British Burial Ground, mais conhecido como Cemitério dos Ingleses, é uma...')
 
 
(Uma revisão intermediária pelo mesmo usuário não está sendo mostrada)
Linha 1: Linha 1:
&nbsp; Autor: Fernando Ferreira CAC Machado de Assis&nbsp; Cemitério dos Ingleses<br/> O&nbsp;British Burial Ground, mais conhecido como&nbsp;Cemitério dos Ingleses, é uma necrópole particular, de orientação&nbsp;originalmente&nbsp;protestante, localizada no bairro da&nbsp;Gamboa, na cidade do&nbsp;Rio de Janeiro. Fundado em&nbsp;1811, é o&nbsp;cemitério&nbsp;a céu aberto mais antigo do&nbsp;Brasil&nbsp;ainda em atividade.<br/> Em 1808, com a chegada da Família Real ao Brasil, o Decreto de Abertura dos Portos às Nações Amigas foi assinado. Com isso, muitos ingleses vieram para o Rio de Janeiro e outras cidades do Brasil.<br/> Em 1810, como parte do Tratado de Amizade e Comércio Portugal-Inglaterra, foi construído um cemitério e um templo anglicano na cidade do Rio de Janeiro. O primeiro enterro foi registrado no dia 15 de janeiro de 1811.<br/> O Cemitério, que ficava perto do mar, em uma região da Gamboa ainda isolada do restante da cidade, tinha um atracadouro próprio para navios que traziam ingleses que morriam atravessando o mar para chegar ao Brasil.<br/> A construção valorizou a área, que passou a ser ocupada por muitas pessoas com alto poder aquisitivo. O Cemitério, ainda, serviu de cenário para vários artistas, que retrataram e descreveram suas belas paisagens.<br/> Após o aterramento para a construção do Porto do Rio de Janeiro, a região onde fica o Cemitério perdeu a vista para o mar e se desvalorizou isso já seria século XX.<br/> O cemitério foi tombado pelo Governo Estadual, e, hoje em dia, é administrado pela representação diplomática britânica, sob a fiscalização da Prefeitura Municipal do Rio de Janeiro.<br/> Muitos moradores ainda tem o costume de passear pelo cemitério e observar e admirar as sepulturas e desfrutar do silêncio que existe naquela região que fica ao lado de uma parte do morro chamada (Barão) que faz referência a rua Barão da Gamboa.<br/> Atualmente, qualquer pessoa, de qualquer nacionalidade, pode ser enterrada no local.<br/> <!--/data/user/0/com.samsung.android.app.notes/files/share/clipdata_191204_153618_757.sdoc-->
+
 
 +
&nbsp; Autor: Fernando Ferreira CAC Machado de Assis&nbsp;
 +
 
 +
&nbsp; &nbsp; &nbsp; &nbsp; &nbsp; &nbsp; &nbsp; &nbsp; &nbsp; &nbsp; &nbsp; &nbsp;&nbsp; Cemitério dos Ingleses<br/> O&nbsp;British Burial Ground, mais conhecido como&nbsp;Cemitério dos Ingleses, é uma necrópole particular, de orientação&nbsp;originalmente&nbsp;protestante, localizada no bairro da&nbsp;Gamboa, na cidade do&nbsp;Rio de Janeiro. Fundado em&nbsp;1811, é o&nbsp;cemitério&nbsp;a céu aberto mais antigo do&nbsp;Brasil&nbsp;ainda em atividade.<br/> Em 1808, com a chegada da Família Real ao Brasil, o Decreto de Abertura dos Portos às Nações Amigas foi assinado. Com isso, muitos ingleses vieram para o Rio de Janeiro e outras cidades do Brasil.<br/> Em 1810, como parte do Tratado de Amizade e Comércio Portugal-Inglaterra, foi construído um cemitério e um templo anglicano na cidade do Rio de Janeiro. O primeiro enterro foi registrado no dia 15 de janeiro de 1811.<br/> O Cemitério, que ficava perto do mar, em uma região da Gamboa ainda isolada do restante da cidade, tinha um atracadouro próprio para navios que traziam ingleses que morriam atravessando o mar para chegar ao Brasil.<br/> A construção valorizou a área, que passou a ser ocupada por muitas pessoas com alto poder aquisitivo. O Cemitério, ainda, serviu de cenário para vários artistas, que retrataram e descreveram suas belas paisagens.<br/> Após o aterramento para a construção do Porto do Rio de Janeiro, a região onde fica o Cemitério perdeu a vista para o mar e se desvalorizou isso já seria século XX.<br/> O cemitério foi tombado pelo Governo Estadual, e, hoje em dia, é administrado pela representação diplomática britânica, sob a fiscalização da Prefeitura Municipal do Rio de Janeiro.<br/> Muitos moradores ainda tem o costume de passear pelo cemitério e observar e admirar as sepulturas e desfrutar do silêncio que existe naquela região que fica ao lado de uma parte do morro chamada (Barão) que faz referência a rua Barão da Gamboa.<br/> Atualmente, qualquer pessoa, de qualquer nacionalidade, pode ser enterrada no local.<br/> <!--/data/user/0/com.samsung.android.app.notes/files/share/clipdata_191204_153618_757.sdoc-->

Edição atual tal como às 15h48min de 4 de dezembro de 2019

  Autor: Fernando Ferreira CAC Machado de Assis 

                         Cemitério dos Ingleses
O British Burial Ground, mais conhecido como Cemitério dos Ingleses, é uma necrópole particular, de orientação originalmente protestante, localizada no bairro da Gamboa, na cidade do Rio de Janeiro. Fundado em 1811, é o cemitério a céu aberto mais antigo do Brasil ainda em atividade.
Em 1808, com a chegada da Família Real ao Brasil, o Decreto de Abertura dos Portos às Nações Amigas foi assinado. Com isso, muitos ingleses vieram para o Rio de Janeiro e outras cidades do Brasil.
Em 1810, como parte do Tratado de Amizade e Comércio Portugal-Inglaterra, foi construído um cemitério e um templo anglicano na cidade do Rio de Janeiro. O primeiro enterro foi registrado no dia 15 de janeiro de 1811.
O Cemitério, que ficava perto do mar, em uma região da Gamboa ainda isolada do restante da cidade, tinha um atracadouro próprio para navios que traziam ingleses que morriam atravessando o mar para chegar ao Brasil.
A construção valorizou a área, que passou a ser ocupada por muitas pessoas com alto poder aquisitivo. O Cemitério, ainda, serviu de cenário para vários artistas, que retrataram e descreveram suas belas paisagens.
Após o aterramento para a construção do Porto do Rio de Janeiro, a região onde fica o Cemitério perdeu a vista para o mar e se desvalorizou isso já seria século XX.
O cemitério foi tombado pelo Governo Estadual, e, hoje em dia, é administrado pela representação diplomática britânica, sob a fiscalização da Prefeitura Municipal do Rio de Janeiro.
Muitos moradores ainda tem o costume de passear pelo cemitério e observar e admirar as sepulturas e desfrutar do silêncio que existe naquela região que fica ao lado de uma parte do morro chamada (Barão) que faz referência a rua Barão da Gamboa.
Atualmente, qualquer pessoa, de qualquer nacionalidade, pode ser enterrada no local.