Fábricas de Cultura

De Dicionario de Favelas Marielle Franco
Ir para navegação Ir para pesquisar

Informações retiradas das redes oficiais do projeto

Logo Fábricas de Cultura.jpg

Sobre

As Fábricas de Cultura são espaços com oportunidades de acesso gratuito a diversas atividades artísticas e culturais. Criadas com o objetivo de ampliar o conhecimento cultural por meio da interação com a comunidade, as Fábricas oferecem cursos e uma programação cultural diversificada. Em cada unidade você encontrará:

  • Cursos e atividades de iniciação artística (8 a 21 anos) e formação cultural (a partir de 12 anos) nas áreas de música, dança, teatro, circo, foto, vídeo, desenho, grafite, DJ, capoeira e muitos outros.
  • Programação cultural com shows, espetáculos teatrais, de dança e circo, palestras, exibição de filmes, oficinas e exposições.
  • Bibliotecas com uma variedade de livros, filmes, jornais, revistas, jogos, espaço para estudo e pesquisa, acesso à internet, além de atividades como contações de histórias e bate-papo com escritores.
  • Estúdios de gravação e captação de áudio com equipe técnica profissional.
  • Projetos especiais nas áreas de teatro (Projeto Espetáculo) e dança (Núcleo Luz) que possibilitam aos jovens a vivência nessas linguagens de forma mais aprofundada.

As atividades acontecem de terça a domingo, inclusive no período de férias. Todas as atividades são gratuitas. As Fábricas de Cultura são um projeto da Secretaria da Cultura do Governo do Estado de São Paulo. A Poiesis – Instituto de Apoio à Cultura, à Língua e à Literatura atualmente gerencia as atividades desenvolvidas nas unidades das zonas Sul e Norte da capital paulista  

Histórico

Desenvolvido desde 2007 pelo Governo do Estado com recursos do BID – Banco Interamericano de Desenvolvimento e da Secretaria da Cultura, atual Secretaria de Cultura e Economia Criativa, o Programa Fábricas de Cultura objetiva estimular o desenvolvimento integral dos indivíduos e grupos, por meio da valorização e ampliação de universos culturais e de situações de convivência e experimentação artística, bem como incentivar e potencializar a articulação de redes de produção e de circulação cultural. 

A Organização Social Catavento Cultural e Educacional administra 6 das 12 unidades do Programa Fábricas de Cultura em São Paulo, por meio de Contrato de Gestão firmado com a SEC, e inaugurou a primeira delas no ano de 2011, em Vila Curuçá. A Organização implantou ainda naquele ano mais duas unidades, em Sapopemba e Itaim Paulista e, nos dois anos seguintes, as unidades Parque Belém e Cidade Tiradentes. Em 2020 planejou e executou a implantação, de 29/06/2020 a 30/09/2020, apenas três meses, em meio a uma grave pandemia sem precedentes (Covid-19), da 1° Fábrica de Cultura 4.0 do estado, em São Bernardo do Campo.    
 
As Fábricas de Cultura oferecem à população uma diversa e intensa programação cultural, com cursos de dança, teatro, música, circo, artes visuais, multimeios e xadrez, além de sessões de cinema, shows musicais, bibliotecas com cerca de cinco mil títulos cada e estúdios de áudio e vídeo, na unidade de Vila Curuçá, e de áudio nas demais unidades, Sapopemba, Itaim Paulista, Parque Belém e Cidade Tiradentes. Em São Bernardo do Campo, com uma proposta inovadora, agrega as artes presenciais já tradicionalmente trabalhadas nas Fábricas às artes digitais, que abarcam as linguagens de tecnologia e inovação, com possibilidade de replicação em outras unidades, no intuito de preparar os jovens para as novas profissões e oportunidades do futuro.

Instaladas em modernos prédios, com cerca de 6.000m², possuem salas devidamente equipadas e teatro com 300 lugares, constituindo-se como um ponto de encontro, um espaço para dinamizar e acolher as manifestações locais, onde grupos e artistas dos bairros realizam ensaios, vivências e apresentações. As atividades, sempre gratuitas, atraem um público cada vez maior e mais interessado em se expressar, compartilhar, descobrir, dialogar e buscar caminhos e ferramentas para se profissionalizar no setor cultural. 

As pesquisas de satisfação realizadas semestralmente apontam o contentamento dos usuários, cujo Índice de Satisfação Geral em relação aos cursos, bibliotecas e atividades de difusão oferecidos chegou a ser superior a 98% nos últimos três anos. 

As Fábricas de Cultura pretendem consolidar-se pelo fortalecimento de ações com a comunidade, integrando a família dos participantes, escolas, organismos sociais e outras entidades como parceiras. A frequência nas unidades em operação é de cerca de 500 aprendizes por dia útil e de 2.000 espectadores nos fins de semana. Um extraordinário sucesso que vem melhorando a vida da comunidade, especialmente dos jovens.

Fontes