Frente de Luta por Moradia

De Dicionario de Favelas Marielle Franco
Revisão de 11h02min de 12 de janeiro de 2021 por Gabriel (discussão | contribs)
(dif) ← Edição anterior | Revisão atual (dif) | Versão posterior → (dif)
Ir para navegação Ir para pesquisar

Informações retiradas do site oficial.

Logo da Frente.jpg

Sobre

Articulação de Comunidades de Fortaleza, Movimentos Sociais e Assessorias Técnicas na luta pela efetivação do Direito à Cidade e à Moradia Digna.

História

A Frente de Luta por Moradia Digna surgiu em 2014, a partir do encontro de vários grupos, organizações e entidades que já estavam envolvidos em lutas pelo direito à cidade e pelo direito à moradia digna em Fortaleza. Hoje, a Frente de Luta por Moradia Digna tem como principais linhas de atuação: disputa pelo acesso à terra urbana de qualidade para todos e todas, democratização da gestão municipal, luta pela implementação das Zonas Especiais de Interesse Social, resistência às remoções e demais efeitos negativos provocados por Grandes Projetos Urbanos (GPUs) em execução e previstos para a cidade de Fortaleza.

Integrantes

A Frente atualmente é composta por moradores de doze comunidades e territórios da cidade que encontram-se em situação de vulnerabilidade social, econômica e ambiental. Além das comunidades, a Frente de Luta é construída e integrada por entidades, movimentos sociais e assessorias técnicas populares, que atuam como componentes e parceiros na luta pela efetivação do direito à cidade e pela moradia digna em Fortaleza, e como um espaço democrático e horizontal, está sempre aberta a interessados que desejam somar nessa articulação.

Ações na pandemia

A Frente durante a pandemia está realizando várias ações como entrega de cestas básicas e movimentos de prevenção à COVID com as populações vulneráveis.

Fotos

Ações na pandemia.jpg
Ações na pandemia 2.jpg
Ações na pandemia 3.jpg

Vídeo 

Conversa sobre a articulação das comunidades Palmeiras, Bom Jardim e Lagamar no combate a Covid-19 e os desafios das comunidades pós pandemia. Com a participação de Auri Lopes, Professora da rede pública, Silvelania, do Sindicato dos Agentes Comunitários de Saúde e Yago Rodrigues, membro do JBD - Lagamar.

Redes sociais