Mudanças entre as edições de "Luto como mãe (documentário)"

Por equipe do Dicionário de Favelas Marielle Franco
(Criou página com ' Fonte: [https://oglobo.globo.com/rio/documentario-luto-como-mae-revela-dor-de-maes-que-perderam-filhos-para-violencia-2965052 O][https://oglobo.globo.com/rio/documentario-lut...')
 
 
(11 revisões intermediárias por 4 usuários não estão sendo mostradas)
Linha 1: Linha 1:
  
Fonte: [https://oglobo.globo.com/rio/documentario-luto-como-mae-revela-dor-de-maes-que-perderam-filhos-para-violencia-2965052 O][https://oglobo.globo.com/rio/documentario-luto-como-mae-revela-dor-de-maes-que-perderam-filhos-para-violencia-2965052  Globo]
+
'''Diretor: Luis Lomenha'''
 +
 
 +
Fonte: [https://oglobo.globo.com/rio/documentario-luto-como-mae-revela-dor-de-maes-que-perderam-filhos-para-violencia-2965052 O Globo]
  
 
= Ficha Técnica =
 
= Ficha Técnica =
Linha 6: Linha 8:
 
Ano de lançamento: 2011
 
Ano de lançamento: 2011
  
Direção: Luis Carlos Nascimento
+
Direção: Luis Lomenha 
  
Gênero: Documentári
+
Gênero: Documentário
  
 
+
Produtor Executivo: Mercia Britto, Carla Afonso e Tatiana Moura. 
  
 
= Sobre o Filme =
 
= Sobre o Filme =
<p dir="ltr" style="text-align:justify; margin-top:0pt; margin-bottom:0pt"><font color="#222222" face="Arial"><span style="font-size: 14px; white-space: pre-wrap;">'''''Luto como mãe'''''é um retrato comovente do sofrmento e da coragem das mães que decidiram buscar respostas para crimes como a Chacina do Acari e a Chacina da Via Show. Entre 2004 e 2008, Luis Carlos Nascimento acompanhou o dia a dia dessas mulheres que correm contra o tempo, o esquecimento e a impunidade, transformando a luta em movimentos em busca de uma sociedade melhor. Os depoimentos são intercalados com imagens - muitas feitas por elas próprias, que receberam uma câmera do cineasta - de manifestações, de julgamentos, dos filhos mortos, de reportagens sobre as chacinas e de momentos de solidariedade com outras mães que também se tornaram vítimas da violência. Algumas das cenas mais emocionantes são protagonizadas por Vera Lúcia Flores, uma das "Mães de Acari".</span></font></p>  
+
<p dir="ltr" style="text-align:justify; margin-top:0pt; margin-bottom:0pt"><font color="#222222" face="Arial"><span style="font-size: 14px; white-space: pre-wrap;">'''''Luto como mãe '''''é um retrato comovente do sofrimento e da coragem das mães que decidiram buscar respostas para crimes como a Chacina do Acari e a Chacina da Via Show. Entre 2004 e 2008, Luis Lomenha acompanhou o dia a dia dessas mulheres que correm contra o tempo, o esquecimento e a impunidade, transformando a luta em movimentos em busca de uma sociedade melhor. Os depoimentos são intercalados com imagens - muitas feitas por elas próprias, que receberam uma câmera do cineasta - de manifestações, de julgamentos, dos filhos mortos, de reportagens sobre as chacinas e de momentos de solidariedade com outras mães que também se tornaram vítimas da violência. Algumas das cenas mais emocionantes são protagonizadas por Vera Lúcia Flores, uma das "Mães de Acari".</span></font></p>
== &nbsp; ==
 
  
 
= Trailer do filme =
 
= Trailer do filme =
  
= {{#evu:https://www.youtube.com/watch?v=yE3nF4-n5Zw}} =
+
{{#evu:https://www.youtube.com/watch?v=yE3nF4-n5Zw}}
 +
 
 +
&nbsp;
  
 
&nbsp;
 
&nbsp;
 +
 +
&nbsp;
 +
 +
[[Category:Filmes]][[Category:Violência]][[Category:Chacinas]][[Category:Justiça]][[Category:Documentários]][[Category:Temática - Cultura]]

Edição atual tal como às 19h21min de 19 de abril de 2022

Diretor: Luis Lomenha

Fonte: O Globo

Ficha Técnica[editar | editar código-fonte]

Ano de lançamento: 2011

Direção: Luis Lomenha 

Gênero: Documentário

Produtor Executivo: Mercia Britto, Carla Afonso e Tatiana Moura. 

Sobre o Filme[editar | editar código-fonte]

Luto como mãe é um retrato comovente do sofrimento e da coragem das mães que decidiram buscar respostas para crimes como a Chacina do Acari e a Chacina da Via Show. Entre 2004 e 2008, Luis Lomenha acompanhou o dia a dia dessas mulheres que correm contra o tempo, o esquecimento e a impunidade, transformando a luta em movimentos em busca de uma sociedade melhor. Os depoimentos são intercalados com imagens - muitas feitas por elas próprias, que receberam uma câmera do cineasta - de manifestações, de julgamentos, dos filhos mortos, de reportagens sobre as chacinas e de momentos de solidariedade com outras mães que também se tornaram vítimas da violência. Algumas das cenas mais emocionantes são protagonizadas por Vera Lúcia Flores, uma das "Mães de Acari".

Trailer do filme[editar | editar código-fonte]