Mudanças entre as edições de "Marcha das Favelas pela Legalização"

De Dicionário de Favelas Marielle Franco
(Criou página com ''''Autoria: Felipe Gomes Vieira'''   Somos um grupo de ativistas antiproibicionistas que sempre questionaram a elitização da Marcha da Maconha, que jamais fora realizad...')
 
Linha 1: Linha 1:
'''Autoria: Felipe Gomes Vieira'''   Somos um grupo de ativistas antiproibicionistas que sempre questionaram a elitização da Marcha da Maconha, que jamais fora realizada nas favelas do Rio de Janeiro, área onde se convive com um verdadeiro genocídio legitimado pelo que se convencionou chamar de “guerra às drogas”. Sob esse argumento, o nosso coletivo começou a se encontrar semanalmente, em reuniões que se estenderam entre os dias 24 de janeiro de 2018, pela primeira vez na favela da Grota (Complexo do Alemão), e 2 de junho. Durante esses encontros ficou-se decidido que na favela do Manguinhos, Campo do Society, ocorreria no dia 9 de junho de 2018 uma Marcha das Favelas pela legalização das drogas.  
+
 
 +
'''Autoria: Felipe Gomes Vieira'''  
 +
 
 +
 
 +
 
 +
Somos um grupo de ativistas antiproibicionistas que sempre questionaram a elitização da Marcha da Maconha, que jamais fora realizada nas favelas do Rio de Janeiro, área onde se convive com um verdadeiro genocídio legitimado pelo que se convencionou chamar de “guerra às drogas”. Sob esse argumento, o nosso coletivo começou a se encontrar semanalmente, em reuniões que se estenderam entre os dias 24 de janeiro de 2018, pela primeira vez na favela da Grota (Complexo do Alemão), e 2 de junho. Durante esses encontros ficou-se decidido que na favela do Manguinhos, Campo do Society, ocorreria no dia 9 de junho de 2018 uma Marcha das Favelas pela legalização das drogas.  

Edição das 19h56min de 26 de agosto de 2019

Autoria: Felipe Gomes Vieira  

 

Somos um grupo de ativistas antiproibicionistas que sempre questionaram a elitização da Marcha da Maconha, que jamais fora realizada nas favelas do Rio de Janeiro, área onde se convive com um verdadeiro genocídio legitimado pelo que se convencionou chamar de “guerra às drogas”. Sob esse argumento, o nosso coletivo começou a se encontrar semanalmente, em reuniões que se estenderam entre os dias 24 de janeiro de 2018, pela primeira vez na favela da Grota (Complexo do Alemão), e 2 de junho. Durante esses encontros ficou-se decidido que na favela do Manguinhos, Campo do Society, ocorreria no dia 9 de junho de 2018 uma Marcha das Favelas pela legalização das drogas.