Voz das Comunidades

De Dicionario de Favelas Marielle Franco
Ir para: navegação, pesquisa

Autoria: Voz das Comunidades.

  43328126 2286952818042686 6393761519695298560 n.png

Introdução

No ano de 2005, época em que a mídia tradicional nem se quer mencionava o que existe de bom nas favelas e os verdadeiros problemas sociais que os moradores enfrentam no dia-a-dia, foi quando um menino de 11 anos de idade, aluno de uma escola municipal, decidiu criar um jornal pra comunidade do Morro do Adeus, uma das 13 que formam o Conjunto de Favelas do Alemão, pra mostrar tudo o que acontecia na sua comunidade.

Como tudo começou?
Aos 11 anos de idade, Rene Silva dos Santos, quando estudava na Escola Municipal Alcides de Gasperi, no bairro de Higienópolis, próximo da comunidade onde vive até hoje, no Morro do Adeus, criou o jornal VOZ DA COMUNIDADE após participar durante 3 meses de um jornal que já existia dentro da escola, criado por alunos do grêmio estudantil para mostrar o que acontecia dentro do ambiente escolar e propondo melhorias na qualidade de educação.

Rene insistiu muito pra participar do jornal escolar, pois geralmente quem entrava eram alunos dos últimos anos e ele ainda estava na 5a série. Depois que entrou pra equipe do JORNAL VIP, nome dado ao folhetim bimestral da escola, começou a observar mais os problemas sociais que existiam entre sua comunidade e a escola. “Eram muitos lixos pelas escadas, ruas cheias de buracos e falta de saneamento básico em muitos lugares” – conta Rene, que com apoio das diretoras Talma Romero Suane e das professoras Adelaide, Monica e Ivanise para criar um jornal pra mostrar a realidade dos moradores do Morro do Adeus.

Voz na pandemia

O jornal está trabalhando intensamente para divulgar dados sobre a pandemia. Nesse sentido, reúne um painel com dados sobre casos e mortes em função da covid-19 nas favelas do Rio e uma seção inteira dedicada para trabalhar sobre a pandemia em tempos da covid-19. Confira aqui o painel!

Pandemia com empatia

A pandemia do novo Coronavírus preocupa moradores das favelas de todos o Brasil, principalmente por serem territórios de grandes aglomerações, facilitando contágio e transmissão da doença (Covid-19). Pensando nisso, a ONG Voz das Comunidades criou a campanha PANDEMIA COM EMPATIA, que pretende arrecadar materiais para que famílias mais vulneráveis tenham condições de mantes os cuidados orientados pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

Pandemia com empatia - campanha.jpeg

<main id="main" role="main"><article id="post-43776"> O pedido é que as doações sejam feitas através de transferências, priorizando depósito bancário, PayPal e pic pay, para evitar que mais pessoas se ponham em risco nas ruas. Todo o valor arrecadado será destinado para a compra de água, álcool em gel e sabonete. A necessidade é urgente, pois em algumas favelas o abastecimento de água não é feito com frequência, fazendo com que algumas casas fiquem até 15 dias de torneiras secas.

Acompanhe o trabalho

</article> </main>