Demodê - Grupo de Pesquisa sobre Democracia e Desigualdades

Por equipe do Dicionário de Favelas Marielle Franco

O Demodê é um grupo de pesquisa do Instituto de Ciência Política da Universidade de Brasília.

Logotipo do grupo de Pesquisa.

Sobre[editar | editar código-fonte]

O Grupo de Pesquisa sobre Democracia e Desigualdades – Demodê – reúne pesquisadoras(es) e estudantes que se dedicam a investigar as implicações da convivência entre regras democráticas de gestão da organização política e profundas desigualdades sociais. Criado em 2001 na Universidade de Brasília, onde opera no âmbito do Instituto de Ciência Política (IPOL), o grupo se esforça por integrar contribuições de múltiplos âmbitos das ciências sociais críticas, focando simultaneamente em relações de dominação estruturadas por classe, raça e gênero, em ações que ocorrem dentro e fora da institucionalidade política vigente, em pesquisas teóricas e empíricas.

As linhas de pesquisa do grupo – "Crise da democracia, neoliberalismo e lutas sociais", "Democracia, direito à cidade e conflitos urbanos", e "Representação política e dominação" – refletem esta agenda ampla, orientada para uma reflexão abrangente sobre as possibilidades e os obstáculos ao aprofundamento da democracia e sobre sua relação com a construção de uma sociedade menos injusta. No contexto do retrocesso político instaurado no Brasil com o golpe de 2016, as pesquisas do Demodê ganham sentido de urgência ainda maior. Entendendo que a universidade e a ciência não formam um mundo à parte, o grupo enfatiza o diálogo com a sociedade civil, movimentos sociais, militantes políticos e ativistas.

Coordenadores[editar | editar código-fonte]

Luis Felipe Miguel

Luis Felipe Miguel é doutor em Ciências Sociais pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), professor titular livre do Instituto de Ciência Política da Universidade de Brasília (UnB) e pesquisador do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). Autor, entre outros, dos livros Democracia e representação: territórios em disputa (Editora Unesp, 2014), Dominação e resistência: desafios para uma política emancipatória (Boitempo, 2018) e O colapso da democracia no Brasil: da Constituição ao golpe de 2016 (Expressão Popular, 2019). Contato: [[1]]

Thiago Aparecido Trindade

Thiago Aparecido Trindade é doutor em Ciências Sociais pela Unicamp e professor do Instituto de Ciência Política da Universidade de Brasília. Autor dos livros Protesto e democracia: ocupações urbanas e luta pelo direito à cidade (Paco, 2017) e Democracia e desigualdades: registros críticos (organização com Carlos Machado, Danusa Marques e Francisco Mata Machado Tavares; Zouk, 2017). Contato: [[2]]

Linhas de Pesquisa[editar | editar código-fonte]

Crise da democracia, neoliberalismo e lutas sociais - Investigações sobre o refluxo democrático, em particular nos países do Sul, sua relação com a hegemonia neoliberal e a resistência a ela.

Coordenação: Luis Felipe Miguel e Thiago Aparecido Trindade.

Democracia, direito à cidade e conflitos urbanos - Investigações teóricas e empíricas sobre as disputas referentes à cidade.

Coordenação: Thiago Aparecido Trindade.

Representação política e dominação - Exame da relação entre a representação política e a democracia e dos mecanismos representativos como reprodutores e indutores de dominação política.

Coordenação: Luis Felipe Miguel.

Redes Sociais[editar | editar código-fonte]

Site