Favela Santa Marta

De Dicionario de Favelas Marielle Franco
Ir para: navegação, pesquisa

Autor: Caíque Azael

 

Introdução

O Santa Marta é uma favela localizada no Morro Dona Marta, que fica no Bairro de Botafogo, na Zona Sul do Rio de Janeiro. A origem do nome da favela remonta ao início do século XX, quando um devota de Santa Marta levou uma imagem da santa para o alto do morro. Na década de 1930, foi construída uma capela para abrigar a imagem. No topo da favela há uma vista panorâmica da cidade, onde se vê pontos turísticos como o Cristo Redentor, o Pão de Açucar, a Praia de Botafogo, a Lagoa Rodrigues de Freitas e todo o bairro de Botafogo. O local é conhecido como Mirante Dona Marta.

A comunidade é, também, muitas vezes, chamada de "Dona Marta", que é, na verdade, o nome do acidente geográfico onde se situa. Muitos se questionam se o certo é Dona Marta ou Santa Marta, mas os moradores chamam das duas formas.

O terreno pertencia ao vizinho Colégio Santo Inácio, que permitiu aos funcionários usarem algumas partes do Morro Dona Marta como moradia. Era o início da favela que mais tarde ficaria conhecida como Santa Marta, uma homenagem para a santa, que até hoje tem uma imagem guardada dentro de uma Igreja, localizada na parte alta do morro. Foi a primeira favela a receber uma Unidade de Polícia Pacificadora (UPP), em 2008, e viu o número de turistas aumentar muito desde então. Atualmente, a comunidade é considerada um dos pontos turísticos da cidade. A primeira habitação é datada do ano de 1942, época em que o morro era de mata fechada. A ocupação original tem presença forte de migrantes do norte e nordeste do país. 

No censo 2010 do IBGE, a favela tinha 3.908 habitantes e 1.176 domicílios. Ocupava uma área territorial de 54.305m². A renda per capita era de R$580,41 (pouco mais de 1/3 da renda média do Rio de Janeiro na época). Mais de 99% da população teriam acesso a água encanada, energia elétrica e coleta de lixo. Seus principais acessos são pela Rua São Clemente e Rua Marechal Francisco de Moura, em Botafogo.  

 

GRES Mocidade Unida do Santa Marta

No Santa Marta, está localizada a escola de samba Mocidade Unida do Santa Marta, fundada em 8 de março de 1992. A quadra da escola de samba fica localizada na Favela Santa Marta, e após a instalação da Unidade de Polícia Pacificadora, passou a receber muitos eventos. Sua bateria é apelidada de Furacão Azul e reforça muitos blocos da Zona Sul, entre eles o Me esquece e o Spanta Nenem. Suas cores oficiais são o azul e o branco. A escola conquistou seu primeiro campeonato no ano de 1993, no ano de sua estreia. Chegou a desfilar uma vez no Sambódromo, no ano de 1998, pelo Grupo B, com enredo sobre Zumbi.

Em 2009, ao abordar o Amazonas e sua cultura popular, a agremiação ficou em 11°lugar com 154,4 pontos, permanecendo no antigo Grupo de acesso D. No ano seguinte, com o enredo "Axé das Águas", obteve a sexta colocação. No mês de outubro, já em meio aos preparativos para o Carnaval de 2011, Jackeline Nascimento assumiu a presidência da escola, substituindo José Luiz de Oliveira, o Sabá. Com sua eleição, a presidente trouxe Plínio e Janaína para serem o casal de mestre-sala e porta-bandeira. Em 2011, comemorando 19 anos de avenida, a escola falou sobre o seu bairro, Botafogo, com o enredo "Botafogo na folia, Santa Marta mais um ano de alegria", desenvolvido por Cássio Carvalho. Ao obter a última colocação, e o consequente rebaixamento, Haroldo Fully foi eleito presidente.

Para 2013, apostou na formação de uma Comissão de Carnaval, da qual fez parte o experiente carnavalesco Eduardo Gonçalves. Última escola a desfilar, naquele ano a Mocidade homenageou a própria favela Santa Marta, sagrando-se campeã do grupo. No ano seguinte, novamente com uma Comissão de Carnaval apostou num enredo sobre o folclore popular, em um desfile com diversas referências à obra de Monteiro Lobato. Novamente última a desfilar, foi apontada prontamente como a provável campeã, o que se confirmou na apuração.

Favela Painting

Donamarta.jpg

O Favela Painting foi um projeto desenvolvido  pela dupla de artistas holandeses Jeroen Koolhaas e Dre Urhahn – conhecidos como Haas&Hahn (foto) – em diversas favelas do Rio de Janeiro, com objetivo de "embelezar" as favelas e, assim, mudar a opinião pública estigmatizada sobre o espaço. A iniciativa começou em 2005, com um trabalho de debate, a partir da arte, de temas como drogas, violência, pobreza e desigualdade. 

O projeto era desenvolvido, em cada local, a partir do diálogo com os moradores e foi financiado a partir de doações de diversas empresas e parceiros para que o projeto fosse possível. 

A pintura do Santa Marta foi feita apenas em 2010, quando os dois holandeses idealizaram a pintura da Praça do Cantão. Eles começaram a fazer pesquisas, protótipos e estudos para mudar a cara dessa localidade, que é uma das portas de entrada para o morro. Um grupo de 25 jovens foi treinado para transformar, em pouco mais de um mês, uma praça e suas 34 casas ao redor num grande trabalho artístico.

 

Curiosidades

  • Em 1987, o cineasta Eduardo Coutinho dirigiu um documentário de 54 min. sobre o lugar, denominado: "Santa Marta - Duas semanas no morro"
  • No início de 2009, a favela voltou aos noticiários, devido à instalação de uma rede de internet wireless gratuita no morro, para uso da comunidade.
  • O ponto mais alto do morro é o Mirante Dona Marta, que fica a 362 metros de altura em relação ao nível do mar.
  • Em setembro de 2009, o Governo do Estado anunciou que iria instalar câmeras de vigilância no Santa Marta. Na época, o então relações-públicas da PM, major Oderlei Santos, explicou que os equipamentos faziam parte de “um projeto pioneiro, de caráter experimental” e que agora, “assim como acontece nas praias da Zona Sul ou nos condomínios das classes alta e média, as comunidades também poderão contar com moderna tecnologia em seu benefício”. Isso ficou conhecido como Big_Brother_Santa_Marta e gerou muitas controvérsias na população.
  • O nome do morro “Dona Marta” surge em torno de 1680, quando um padre chamado Clemente Martins de Matos comprou as terras da região e nomeou o morro em homenagem a sua mãe, Marta Figueira de Matos, que havia morrido alguns anos antes. No mesmo bairro ele traçou um caminho em suas terras na direção de uma pequena capela que ergueu. Era a capela de São Clemente, em homenagem própria. O caminho marca o começo da atual rua São Clemente. Já a favela, Santa Marta, é em homenagem a santa que ocupa lugar na capela no topo do morro. 

 

Santa Marta, mídia e celebridades

O local é famoso internacionalmente por ter sido um dos palcos do clipe They dont care about us, música de Michael Jackson, em 1996. Na ocasião, a equipe de filmagem do videoclipe teve que pedir autorização para o chefe local do tráfico de drogas, Márcio Amaro de Oliveira. Quase dez anos depois, Márcio ajudou a escrever o livro Abusado - o Dono do Morro Dona Marta, de Caco Barcellos, onde conta um pouco da história da Santa Marta.

Em 2009, no dia 13 de novembro, a comunidade recebeu a visita da cantora norte-americana Madonna acompanhada do governador do estado do Rio de Janeiro Sérgio Cabral e do prefeito da cidade Eduardo Paes e em fevereiro de 2010, com a gravação de um clipe da cantora Alicia Keys com Beyoncé. No mesmo ano, recebeu também parte das gravações da novela Escrito nas Estrelas. A favela foi o palco principal das cenas do filme Velozes e Furiosos 5, junto com o centro financeiro da cidade gravadas em 2011. É também um dos cenários da série A Arma Escarlate, da autora brasileira Renata Ventura, publicada em 2011.

Em 26 de junho de 2010, um ano após a morte do cantor americano Michael Jackson, a Secretaria Estadual de Turismo, Esporte e Lazer (Seel) bancou as obras de um espaço público sobre a laje onde o rei do pop se apresentou, em 1996, em cima do ambulatório de Dedé, líder comunitário local. O espaço conta com um painel do artista Romero Brito e uma estátua do cartunista Ique que foram pagas pela Seel. A laje onde Michael gravou o videoclipe They Don't Care About Us, catorze anos antes ficaria imortalizada para a alegria dos fãs de Michael Jackson, dentro e fora da favela.

Clipe de They dont care about us, gravado na favela, em 1996:

Rádio Santa Marta

Em julho de 2010, entrou no ar a Rádio Santa Marta, emissora comunitária da favela. Através da frequência 103,3 MHZ, moradores da comunidade comunicam suas notícias para todo o bairro de Botafogo.

UPP do Santa Marta

A favela encontra-se atualmente ocupada pela Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro, que aí instalou, em 28 de Novembro de 2008, a 1° UPP Unidade de Polícia Pacificadora da cidade. De acordo com a Secretaria de Segurança Pública do Estado, os pontos de venda de droga que funcionavam no local foram, então, extintas. 

 

Fontes

Fontes:

Wikipédia - Santa marta

Favela - Santa Marta Tour

Favelagrafia - Santa Marta

Brasil Tur- Santa Marta

Saben - Santa Marta