Praia do Pinto

De Dicionario de Favelas Marielle Franco
Revisão de 08h06min de 20 de abril de 2020 por Caiqueazael (discussão | contribs)
Ir para: navegação, pesquisa

História

local já era conhecido como Praia do Pinto em meados da década de 1870, e sofreu diversas tentativas de remoção ao longo dos anos. Após a tomada do poder pelos militares, em 1964, o processo de erradicação da favela foi intensificado e culminou no controverso incêndio que extinguiu a comunidade, no dia 13 de maio de 1969.

Um conjunto que era conhecido pela sua maior Favela, a Praia do Pinto. A mais antiga datando dos anos 30 era a Praia do Pinto, as outras duas foram formadas na segunda metade dos anos 40.

Localizada em uma dasáreasmais valorizadas da cidade, a favela se tornou alvo prioritário da campanha de erradicar de favelas que era movida então pelo governo militar e pelo governo do estado da Guanabara. Na madrugada de 11 de maio de 1969, enquanto se realizavam os preparativos para a remoção dos moradores para outros bairros, ocorreu um incêndio, cujas causas nunca foram esclarecidas, que destruiu mil barracos e deixou mais de 9 000 pessoas desabrigadas (na época, a favela abrigava 15 000 habitantes). O incêndio acelerou os trabalhos de remoção da população para conjuntos habitacionais em Cordovil, Cidade de Deus, Cruzada São Sebastião e para abrigos da Fundação Leão XIII.


 

Localizada em uma das áreas mais valorizadas da Zona Sul do Rio, a Praia do Pinto era meta prioritária nas políticas de remoção de favelas do Governo Militar. O incêndio ocorreu em um período de grande tensão, com resistência de moradores, prisão de líderes comunitários e remoções em outras favelas da cidade.


 

Teria o incêndio sido proposital? Na opinião dos moradores entrevistados na pesquisa, isto surge de maneira praticamente unânime. De qualquer maneira, o próprio Governo da Guanabara admite que serviu aos propósitos remocionistas, tendo sido um "problema imprevisto e grave, mas sem alterar os planos originais, promoveu o Governo apenas a aceleração da mudança."[1]


 

Referências

https://pt.wikipedia.org/wiki/Favela_da_Praia_do_Pinto

http://cronologiadourbanismo.ufba.br/apresentacao.php?idVerbete=1530

https://jornalocidadao.net/da-praia-do-pinto-a-ocupacao-do-mlsm-os-despejos-e-remocoes-nao-pararam-de-atingir-os-mais-pobres/

https://rioquepassou.com.br/2008/01/11/complexo-de-favelas-da-praia-do-pinto-inicio-dos-anos-60/

https://medium.com/fredsoares/os-50-anos-do-inc%C3%AAndio-que-dizimou-a-favela-que-entrou-para-a-hist%C3%B3ria-do-fla-2ebba9c1250a