Vida bandida (poema)

De Dicionário de Favelas Marielle Franco
Revisão de 22h06min de 28 de agosto de 2019 por Gabriel (discussão | contribs)
Ir para navegação Ir para pesquisar

Autor: Repper Fiell.  

 

"Aqui é de verdade não é cena de ficção / a chapa e quente, mais quente que o fogo irmão/o reboco cai cai, e o aço passa/ a guerra estou e a facção grita "bota a cara"/ é quase natural se os corpos não descessem, no lençol vermelho de sangue, a sena e triste neguim/ segue o fluxo, poder ganância e ostentação, aqui a vida vale o fuzil sacou mermão/ a referência nunca foi universitária, menor sagaz lubrifica e monta as armas/ a patente por aqui é de terrorista, tem vários Bin Laden de boné e sem camisa. 

Refrão 2 x 

Tem vários Bin Laden de boné e sem camisa / na vida bandida na vida bandida O neguin tá de pistola e o comparsa de ponto 30 / na vida bandida na vida bandida. 

MC Rozendo 

O meiota no porte, granada m9, atividade nos comédias não posso contar com a sorte/ná fé sigo forte, a guia é meu suporte , se os vermes brotar na curva bate de frente com a morte/ RJ na favela é pique Afeganistão, Moleque cheio de ódio portando um AK trovão/o cria no blindão de chinelo e bermudão, sangue frio no gatilho preparado pra missão/terrorista na vida bandida segura a rajada da 30 aqui ninguém reza e nem brinca talibã de boné e sem camisa/ se botar a chapa quente o sistema não segura os fogos do fim do ano é explosão das viaturas. 

Refrão 2 x

Tem vários Bin Laden de boné e sem camisa / na vida bandida na vida bandida O neguin tá de pistola e o comparsa de ponto 30 / na vida bandida na vida bandida."

CLIP: https://www.youtube.com/watch?v=xK9gUV2gszM