Rolezinho

De Dicionario de Favelas Marielle Franco
Ir para navegação Ir para pesquisar

Autoras: Gizele Martins e Thais Cavalcante.

Era para ser um simples passeio entre amigos, mas virou uma afirmação de identidades e estilos quando estes passaram a ser proibidos de circularem em locais como os shoppings da cidade. Hoje, é uma manifestação cultural e conjunta da juventude para afirmação e busca pelo direito à cidade. Virou a afirmação de identidades, de estilos, além de mostrar que é necessário atravessar os muros invisíveis da cidade e é possível se manifestar em espaços ditos particulares, fechados ao grande público. Na Maré, o rolezinho também virou febre quando a juventude mareense passou a dizer que é preciso sim ocupar a cidade, a disputar os espaços que historicamente disseram que não eram nossos. Na Maré, ainda é difícil circular pela própria favela, mas o rolezinho que virou febre nacional, nos deu exemplo de que é necessário ocupar as ruas, os espaços, a favela, a cidade. Visto de forma negativa pelas elites, o rolezinho é um instrumento de afirmação de direitos da juventude. Na Maré, o rolezinho acontece como forma de os jovens moradores de apropriarem do território. Mas a atividade também é um momento de troca, pois jovens de outras favelas também são convidados a participar e compartilhar experiências.

Documentário "Hiato" (2008)

Ficha técnica: 20'00" | MiniDV | Cor NTSC | Estéreo | 16:9 | 2008 | Brasil

Direção: Vladimir Seixas

Roteiro: Vladimir Seixas e Maria Socorro e Silva

Montagem: Ricardo Moreira e Roberta Rangé

Fotografia: Maurício Stal e Vladimir Seixas

Som direto: Vitor Kruter e Helen Ferreira

Assistente de finalização: Juliana Oakim

Sinopse: Em agosto de 2000 um grupo de manifestantes organizou uma ocupação em um grande shopping da zona sul carioca. O episódio obteve grande repercussão na imprensa nacional e ainda hoje é discutido por alguns teóricos. O filme recuperou imagens de arquivo e traz entrevistas de alguns personagens 7 anos após essa inusitada manifestação.