Grupo ECO (Santa Marta)

De Dicionario de Favelas Marielle Franco
Ir para: navegação, pesquisa

Apresentação do Grupo

O Grupo Eco é uma organização que atua no Morro Santa Marta desde 1976. É uma entidade sem fins lucrativo de caráter educacional e cultural e destinada a promover e apoiar na Favela Santa Marta e, eventualmente, fora dela, atividades e iniciativas que visem o desenvolvimento humano integral das pessoas e da comunidade, com atenção especial às crianças, adolescentes e jovens, em busca da afirmação da dignidade da pessoa humana; do pleno exercício da cidadania; do fortalecimento da solidariedade comunitária participativa; contribuindo, assim, para a construção de uma sociedade justa, livre e participativa.  

Tem como berço e lugar a favela de Santa Marta, situada no Bairro de Botafogo. Esta favela existe desde o final dos anos 30 e hoje abriga uma população de aproximadamente seis mil moradores, entre eles 22% está na faixa etária de 5 a 14nos. O grupo Eco está entre as mais antigas instituições deste lugar, Juntamente com a igreja católica, a Associação de Moradores e os times de futebol. É certo que a partir dos anos 2000, outras importantes organizações surgiram na Favela.

O Grupo Eco nasce da iniciativa de jovens moradores do Santa Marta que decidem valorizar as manifestações culturais da favela e fortalecer a sua organização interna, na busca de melhorias e direitos. No final de 1976 é criado o jornal Eco que passa a ser vendido dentro da favela. Esta atividade dá visibilidade ao Grupo que ganha confiança dos moradores. Comunicação, formação e organização comunitária marcam este Grupo desde início. Durante esse período de muita luta, perdas e vitórias, o Grupo construiu, com solidez, uma história de respeito e confiança, dentro e fora da Favela. Nestes quase 50 anos de atuação na Favela de Santa Marta o Grupo esteve direta ou indiretamente vinculado à luta pelos direitos dos moradores e consolidação da Favela como lugar digno de se morar.

Mais verbetes feitos pelo Grupo Eco

Ação de distribuição de alimentos contra o Coronavírus

Informações retiradas do Facebook do Grupo ECO, com autorização do grupo.

Grupo ECO (6).jpeg
Grupo ECO (7).jpeg
Grupo ECO (2).jpeg
Grupo ECO (3).jpeg
Grupo ECO (4).jpeg

 

 

Ação de conscientização e informações com Dr. José Luiz

Recado do Dr. José Luís Rios para os moradores do Santa Marta

Dr. José Luis Rios fala da importância da máscara

Dr. José Luis Rios explica os sintomas e cuidados com a COVID19

Ação de conscientização

Informações retiradas do Facebook do Grupo ECO, com autorização do grupo.

Ação Eco contra o Covid (2).jpeg
Ação Eco contra o Covid (1).jpeg
Ação Eco contra o Covid (4).jpeg
Ação Eco contra o Covid (5).jpeg
Ação Eco contra o Covid (3).jpeg

 

 

Ação de Teleatendimento

Grupo ECO (1).jpeg

Dr. José Luis fala da teleconsulta

 

Formas de Ajudar o Santa Marta

Santa Marta - grupo eco.jpg

A pandemia do Covid-19 já se difunde pela cidade do Rio de Janeiro. Ameaça, principalmente, os 2 milhões de moradores de favelas, pelas dificuldades locais de se praticar e manter as medidas, hoje, indispensáveis ao combate à pandemia: isolamento social e rigorosos hábitos de higiene.
O Projeto PROTEÇÃO PARA TODOS foi criado por um grupo de profissionais liberais e professores abaixo-assinado que têm relações de amizade ou trabalho voluntário na favela de Santa Marta, no bairro de Botafogo. Nela vivem cerca de 6.000 pessoas, com uma grande quantidade de jovens e crianças, mas também uma parcela crescente de idosos e mulheres chefes de família. A população economicamente ativa trabalha a maior parte no comércio, construção civil, atividades domésticas e atividades informais.
A iniciativa partiu da constatação simples e evidente de que a única forma de conter a pandemia Covid-19 e evitar uma situação apocalíptica em nossa cidade, para além dos cuidados individuais, é empreendermos iniciativas coletivas solidárias. Escolhemos uma ação de apoio financeiro direto, em uma escala bem pequena, 50 famílias do Santa Marta, para as quais doaremos uma cesta básica por três meses;pagando aos carregadores locais para fazer as entregas. Além disso, estamos dando um valor em espécie para compra do gás ou qualuqer outra urgência. O nosso compromisso é com 50 famílias, por 3 meses.
O líder comunitário Itamar Silva, presidente da Associação Escola Sem Muros – Grupo Eco, será o Coordenador e responsável, com o apoio de outras entidades locais, pela escolha e a entrega das doações às famílias beneficiadas. Itamar, formado em Comunicação Social, é nosso conhecido há quase quatro décadas.
As doações devem ser feitas para a conta abaixo:

Assoc. Escola Sem Muros – Grupo ECO
CNPJ: 32.436.458/0001-84
Banco do Brasil
Agência: 1569-5
Conta:32.373-X

Pedimos que no depósito seja posto o código de identificação Cuidem-se e que seja enviado por Whatsapp para a pessoa do Grupo de mobilização que fez contato com você.
Quinzenalmente, será enviado um breve relatório aos colaboradores com informações sobre o desenvolvimento do projeto PROTEÇÃO PARA TODOS.
Contamos com a contribuição e mobilização dos amigos e amigas!
Mais do que nunca é tempo de união e solidariedade!!!
Se você puder ajudar com alguma quantia para abril/maio/junho, agradecemos MUITO! 

Outras ações contra o coronavírus no Santa Marta

Caros e caras: Amigos e integrantes do Grupo Eco
Queremos compartilhar com todos vocês o orgulho de ver as iniciativas de proteção e apoio às famílias que estão acontecendo aqui no Santa Marta. Parabéns as lideranças o obrigado aos amigos.
É verdade que falta às pessoas ficarem em casa e evitarem aglomerações, do contrário de nada adiantará tanta mobilização.
O Santa Marta é uma favela abençoada, muita gente tem contribuído com as campanhas de arrecadação de alimentos e apoiado iniciativas de higienização, tão necessárias para nos prevenir contra o corona vírus.
A iniciativa do Thiago Firmino e do Tandy que trouxe a sanitização para o Santa Marta está servindo de exemplo para outras favelas e demonstra o que o poder público deveria estar fazendo.
O protagonismo da Associação de Moradores, sob a liderança do Zé Mário, tem sido um ponto de referência para as doações externas e, felizmente, tem alcançado um número significativo de famílias do Santa Marta.
Nós do Grupo Eco também estamos fazendo a nossa parte e complementando o apoio aos moradores do Santa Marta.
O Grupo Eco assumiu a responsabilidade de entregar 50 cestas básicas, por três meses (abril, maio e junho). Essa iniciativa está sendo possível pelo apoio de um grupo de amigos do Eco que está se cotizando e mobilizando outros amigos para levantar os recursos necessários.
Nesta campanha decidimos um olhar especial para o grupo de carregadores que receberão cestas, mas também ajudarão a fazer as entregas às famílias com mais dificuldades.
É claro que a maioria absoluta dos que vivem no Santa Marta precisa de algum tipo de apoio, por isso temos que pressionar os governos para garantir nossos direitos como cidadãos. No entanto, enquanto não chegam, vamos ampliando a solidariedade entre nós e uns ajudando aos outros. Seguimos juntos.
Obs.: O Grupo Eco e a Associação de Moradores estão dialogando para que as listas não repitam nomes, assim mais gente terá a chance de ser beneficiada.
Itamar Silva
Pelo Grupo Eco

Acesse também

Prestações de contas

EcoGroup (1).jpg
EcoGroup (2).jpg
EcoGroup (3).jpg
EcoGroup (4).jpg
EcoGroup (5).jpg
EcoGroup (6).jpg
EcoGroup (7).jpg
EcoGroup (8).jpg

Prestação de contas

Caríssim@s,
Segue o 3º relatório da campanha “Santa Marta Proteção para Todos”.
As contribuições foram muito positivas e permitiu-nos estender a distribuição de cestas básicas até setembro.
Já temos dinheiro para custear os meses de julho e agosto. Para completar o mês de setembro estamos solicitando a contribuição de R$ 100,00 (cem reais), de quem puder.
Para mais detalhes leia o relatório em anexo.
Obrigado!
Itamar

Terceira leva

Santa Marta Proteção para Todos”

O que fizemos em junho:

No dia 13 de junho realizamos a 3ª entrega de cesta básica e de vale gás para 51 famílias da favela de Santa Marta, cumprindo mais uma etapa da campanha Santa Marta Proteção para Todos. Dessa forma, cumprimos a meta inicial da campanha de apoiar 50 famílias e carregadores locais.

Dia de mobilização – 13 de junho:  Fizemos uma ação casada com a entrega das cestas básicas. Enquanto os carregadores faziam a entrega das cestas a domicílio, distribuímos aos moradores 100 litros de álcool gel e 100 litros de álcool 70 doados ao Grupo Eco. Separamos a favela em quatro pontos de fácil acesso. Em cada ponto, grupos de três pessoas do Eco fizeram a distribuição do álcool 70 e álcool em gel, além de máscaras, para os moradores interessados.  Foi uma ação de visibilidade bem avaliada por todos e tivemos um bom retorno dos moradores.

Uma reportagem fotográfica: a fotógrafa Tatyne Lauria produziu um conjunto de fotos registrando a entrega das cestas básicas no Santa Marta. As fotos, acompanhadas de um texto, foram publicadas nas redes sociais da Tatyane e, também, nas redes sociais do Grupo Eco.

Tele atendimento: o atendimento com o Dr. José Luiz, feito por telefone e oferecido a partir de maio, teve continuidade no mês de junho. Neste mês, reforçamos o trabalho de divulgação do serviço. Contudo, a procura foi baixa se compararmos ao mês em que a ação foi implantada.

Ajustes nas doações:

Inclusão de mais cinco famílias para receberem a cesta básica e o vale gás. Passamos, a partir de junho, a apoiar 55 famílias

Conteúdo da cesta: trocamos fubá e farinha de trigo por linguiça atendendo a pedidos de vários moradores.

Aumentamos o Vale Gás de R$ 90,00 (noventa reais) para R$ 100,00 (cem reais)

Previsão para julho:

Pesquisa: Na primeira quinzena do mês de julho faremos um levantamento das mortes ocorridas no Santa Marta no período de fevereiro (quando apareceram os primeiros de Covid-19 no país) a junho deste ano. O objetivo é identificar as mortes por Covid-19, confirmadas ou suspeitas, e refletir sobre o impacto da doença na favela. Como não há testes disponíveis, a pesquisa nos ajudará a identificar, mesmo sem precisão absoluta, o nível de contágio e óbitos no morro em decorrência do coronavírus.

Extensão da campanha: Conforme decisão da coordenação da campanha, já compartilhado com vocês no segundo relatório, assumimos o compromisso de seguir com o apoio por mais três meses: julho, agosto e setembro. A justificativa está na constatação de que os impactos negativos da pandemia se estenderão por um período longo e as saídas serão lentas.

No final de maio verificamos que havia um saldo em nossa conta que viabilizaria, integralmente, a entrega no mês de julho. E, com as contribuições feitas no período de 01 a 25 de junho , verificamos que será possível garantir também o mês de agosto. Ficaremos com um pequeno saldo que nos permitirá manter a campanha até setembro com mais uma rodada de doações.

Para fechar a campanha em setembro e completar seis meses de apoio será necessária a entrada de mais R$ 7.000,00 (sete mil reais). Assim, solicitamos uma última contribuição de R$ 100,00 (cem reais) para fechar as contas e garantir integralmente o projeto até final de setembro.

Entendemos que a maioria de nós também está impactada pelas restrições financeiras provocadas por essa pandemia. Por essa razão, estamos propondo uma contribuição menor para aqueles e aquelas que puderem.

Nos três meses de campanha: abril, maio e junho tivemos 265 depósitos em nossa conta, com uma média de 300,00 (trezentos reais) por contribuição. Alcançamos até hoje o montante de R$ 79.500,00 (setenta e nove mil e quinhentos reais), o que está nos permitindo ampliar a campanha até o mês de setembro, com um complemento de R$ 7.000,00 (sete mil reais). Isso é fantástico! Quem pode mais doou mais e, todos juntos, viabilizaram a campanha. Vamos encerrar as contribuições bancárias no mês de julho.

 

Outras iniciativas no Santa Marta:

. A sanitização nos caminhos e becos da favela continuam acontecendo duas vezes por semana.

 

. A Associação de Moradores entrega aos moradores cartões para consumo:

- Viva Rio – passou a entregar um vale no valor de R$ 53,00 (cinquenta e três reais) para os moradores cadastrados pela Associação.

- A campanha “Santa Marta pede Ajuda”, uma “vakinha on line” que teve o apoio da Associação de Moradores , distribuirá 500 cartões, no valor unitário de R$ 150,00 (cento e cinquenta reais) para famílias cadastradas pela Associação de Moradores.

. Cepac – Centro de Educação Padre Agostinho Castejon – apoio direto a funcionários e crianças ali matriculadas.

                        . Casa Santa Marta - Distribuição pontual de alimentos

. Spanta Nenem – Distribuição pontual de cestas para famílias envolvidas nos projetos da organização no Santa Marta.

. Centro Esportivo (Ricardo) – Distribuição pontual de alimentos.

. Creche Reino Unido – Distribuição de cestas básicas para mães com filhos na creche.                              .

                        . Favelagrafia – Distribuição pontual de alimentos

Observação: quando digo “distribuição pontual” é, primeiro pela (minha) falta de informação sobre os critérios definidos para escolha das famílias e, segundo, por não ser uma entrega regular, com periodicidade explicitada.

 

Planejamos enviar a vocês um informe no final de julho e um relatório final, na segunda quinzena de setembro, compartilhando uma avaliação sobre esta campanha no Santa Marta.

Qualquer dúvida, contribuição ou opinião pode ser enviada pelo seu contato na campanha (aquele te envolveu nesta empreitada).

É preciso dizer que este grupo é muito inspirador e alimenta a esperança. Mesmo não nos conhecendo bem, formamos uma rede e comprovamos, na ação, que juntos somos mais. Por tudo isso agradeço, em nome do Santa Marta, a todas as pessoas envolvidas nesse projeto. É bacana saber, e constatar, que tem gente nessa sociedade que se importa com os outros. É nisso que vale apostar.

Mais uma vez obrigado e aguardem nosso próximo contato.

Itamar Silva

Diretor do Grupo ECO – Associação Escola Sem Muros – Favela Santa Marta

Coordenador do projeto Santa Marta Proteção para Todos

Comunicado do Grupo em Maio de 2020

Campanha “Santa Marta Proteção para Todos” – Maio/2020

 

  1.  

Ampliação da campanha: hoje somos 100 pessoas colaborando com esta campanha.

  1.  

Nossa arrecadação atingiu o total de R$ 51.000,00 (cinquenta e um mil reais). Com esse montante arrecadado até o momento, já é possível honrar o nosso compromisso de três meses de cesta básica + vale gás + trabalho dos carregadores (entrega em domicílio).

Decidimos que na última semana de maio faremos um balanço para decidir o que fazer com o possível saldo que teremos na conta. Uma possibilidade a ser considerada é prorrogar a entrega dos benefícios por mais um mês. Vamos aguardar a evolução das contribuições e decidir no final de maio.

  1. A segunda entrega de cestas básicas e vale gás aconteceu nos dias 09 e 11 de maio. Mantivemos o mesmo conteúdo nas cestas incluído mais um litro de óleo, a pedido das famílias, e o mesmo valor do vale gás (R$ 90,00).

Cesta Básica: Açúcar, Feijão, Café, Óleo, Macarrão, Arroz, Sal, Molho de Tomate, Farinha de Trigo, Fubá, Farinha de Mandioca, Leite em Pó, Biscoito, Goiabada e Kit Limpeza - Detergente; Água Sanitária; Sabão em Pó; Barras de sabão e Sabonetes.

A entrega foi feita em cada domicílio pelos carregadores locais, remunerados pela Campanha.

 

  1. Nos últimos 15 dias já foram distribuídas mais de 5.000 máscaras no Santa Marta a partir de doações diversas. Somente o Grupo Eco distribui 1.800 oriundas de doação de amigos e/ou compradas pela Campanha de uma costureira da própria favela. Também a Associação de Moradores distribuiu mais de 4.500 máscaras. Nesta semana (11.05), Furnas dou mais 1600 máscaras que estão sendo distribuídas na favela. Paralelo a isso, distribuímos também 160 frascos de álcool gel de 500g, doados para o Grupo Eco.
  2. Na última semana já vimos mais gente usando máscaras dentro da favela. Tem aumentado a adesão dos moradores ao uso de máscaras. No entanto, sabemos como é difícil subir o morro, carregando algum peso e usando máscara. Várias pessoas dizem que não conseguem puxar o ar necessário na subida.
  3. Iniciamos também o tele atendimento “Covid 19 com Dr. José Luiz”. Depois de produzir vários vídeos, chamadas para orientar e sensibilizar os moradores a se protegerem do vírus, Dr. José Luiz abriu espaço em sua agenda para o teleatendimento a moradores da favela de Santa Marta. Qualquer morador pode enviar uma mensagem de voz e, em seguida, uma consulta é marcada com o médico. O morador recebe uma ligação de retorno do próprio médico. Além da divulgação nas redes sociais do Grupo Eco, a informação está sendo feita, diariamente, pelo auto falante da Associação de Moradores. Nesta semana (18.05), intensificamos a divulgação.
  4. Outras iniciativas importantes acontecendo no Santa Marta

- A sanitização, iniciativa do Thiago e do Tandy Firmino, segue uma rotina de imunizar a favela duas vezes na semana. 

- Outra iniciativa desta dupla é uma pesquisa/levantamento sobre informações da doença na favela – Painel corona na favela – pesquisa on line para levantar a disseminação da Covid-19 entre os moradores.

- Segue a distribuição de cestas básicas pela Associação de Moradores: segundo o presidente, já foram distribuídas mais de 1.250 cestas. Já começou a distribuição relativa ao segundo mês.

- Outras iniciativas de distribuição de cestas básicas também acontecem: Centro Esportivo (Ricardo), Creche Mundo Infantil (Adriana), Favela Grafia (Elana), Delano (do futebol), Igreja Metodista, Casa Santa Marta, entre outras pontuais.

Esta mobilização na distribuição de cestas básicas nos faz acreditar que o Santa Marta está com uma boa cobertura e que os moradores que mais precisam estão sendo contemplados.

 

Em relação à disseminação da doença no interior da favela, sua presença já está confirmada com a evidência de vários casos. Em que pese o número baixo de internação, comparativamente, já se identifica vários casos considerados leves na favela (não chegam a se internar e se recuperam em casa). Os comentários aumentam: comentam que o vizinho ou um conhecido está com os sintomas e está em casa. Mas ainda há muita vergonha em se assumir portador da doença. Seguimos com os mesmos desafios existentes em âmbito nacional: a falta de testagem e a subnotificação.

Temos a confirmação de quatro internações que se tornaram públicas. Destas, a confirmação de duas altas. Em relação aos outros, só boatos. Temos duas mortes: uma confirmada, na semana passada, e uma suspeita porque, segundo os familiares, ainda não deram o resultado do teste.

Em uma semana de tele atendimento foram realizadas sete consultas e todas receberam a atenção e orientação do Dr. José Luiz.

18.05.2020

Itamar Silva, presidente do Grupo ECO e coordenador da campanha Santa Marta - Proteção para Todos

 

Acompanhe o Grupo Eco nas Redes

YouTube - https://www.youtube.com/user/SantaMartaGrupoEco/videos?disable_polymer=1

Facebook - https://www.facebook.com/grupo.eco.7
 
Instagram - https://www.instagram.com/grupoeco.stm/