UNEafro Brasil

Por equipe do Dicionário de Favelas Marielle Franco
Informações publicadas originalmente das redes sociais do coletivo.
Fundo amarelo com duas faixa verde e vermelho no canto superior à esquerda. Letras vazadas de cor preta formando o nome "UNEafro" e em cima de preto a palavra "Brasil".
Logo da UNEafro Brasil.

A A Uneafro Brasil - União de Núcleos de Educação Popular para negras, negros e classe Trabalhador é uma rede de articulação e formação de jovens e adultos moradores de regiões periféricas do Brasil que se organiza em torno de núcleos de educação.

Sobre[editar | editar código-fonte]

A UNEafro é fomentada pelo trabalho interseccional de diversos ativistas de diversos movimentos sociais como o negro, feminista, LGBTQIA+, de ocupação/terra/moradia, pela educação, assim como outros apostando seus esforços na educação popular para salvamento de vidas e geração de impacto social permanente.[Notas 1]

A UNEafro é um movimento que se organiza em núcleos de atuação em diversas áreas. O trabalho mais conhecido são os cursinhos pré-vestibulares comunitários que atendem jovens e adultos oriundos de escolas públicas, prioritariamente negros/as, que sonham em ingressar no Ensino Superior e preparar-se para o ENEM, Mercado de trabalho e Concursos Públicos.

O que define a atuação de um núcleo é seu caráter comunitário, pelo qual a UNEafro constituiu-se num combativo Movimento Social e Popular onde homens, mulheres, donas de casa, operários, jovens, idosos, negros/as, nordestinos e o povo pobre em geral são os verdadeiros protagonistas. Núcleos de Base representam uma alternativa de mobilização, constituindo-se em espaços voltados para a construção de lutas sociais e concretas ações comunitárias locais voltadas para a transformação das condições de vida. Estes serão locais propícios para a formação política teórica e prática, fomento para surgimento de novas lideranças comunitárias e cultivo da mística.

A formação de novos quadros e lideranças é essencial para fortalecer todos os movimentos e também para levar a pauta étnica para as outras lutas. A força dos núcleos comunitários deve estar voltada para a sua organização na periferia das cidades e demais localidades onde existam explorações e injustiças.

Núcleos[editar | editar código-fonte]

O núcleo de base é o pilar de nossa organização. A célula, a base, o ponto de encontro, a força que nos move enquanto grupo social.

Para a UNEafro o conceito político de núcleo é mais amplo. Existirão vários tipos de núcleos. O Cursinho Comunitário Pré-Vestibular será um tipo. Talvez o mais difundido e que congrega maior vocação popular em nosso meio. Mas existirão mais formas de núcleos. Serão núcleos os grupos de bolsistas que atuarem em diversas áreas tais como cultural, esportiva ou qualquer área acadêmica ou socia.

Atualmente, devido à pandemia, o escopo de trabalho e de atuação foi expandido para combater a fome, a pobreza e a vulnerabilidade extrema de todos aqueles que buscaram nossa ajuda, dando início inclusive a intervenções e ações de saúde popular/comunitária com fim de desenvolver projetos que fortaleçam e protejam as periferias.

Quem somos[editar | editar código-fonte]

Somos participantes de várias lutas sociais, entre elas o movimento estudantil e sindical, popular de base e movimento dos cursinhos comunitários e populares. Ajudamos a construir o que já foi uma importante ferramenta da luta do povo negro, da juventude e da educação brasileira. Enquanto membros daquela organização pautamos os poderes públicos, universidades, empresas privadas e o setor educacional. Ações Afirmativas e Cotas para negros, indígenas e pobres tomaram corpo de política pública, transformaram-se em leis ou regras autônomas em universidades. Temos convicção de que nossa atuação contribuiu para transformação da vida de milhares de pessoas que buscaram, com dignidade, ocupar espaços historicamente negados à população empobrecida, em especial aos descendentes africanos. A inviabilidade da continuação do projeto popular, democrático e de luta no seio daquela entidade nos levou a aceitar o desafio da construção deste novo movimento.

Hoje nós, negras/os, não-negras/os pobres, jovens, mulheres, pne’s, idosos/as, estudantes de escolas públicas, universitárias/os, professores/as, educadores/as populares e militantes de diversos movimentos sociais, que ousamos acreditar num país justo, igualitário, livre da exploração promovida pelo sistema capitalista e, sobretudo, sem racismo, nos dedicamos à da UNEAFRO – União de Núcleos de Educação Popular para Negras/os e Classe Trabalhadora.

Fotos[editar | editar código-fonte]

Sete jovens lado-a-lado dentro do auditório da Alesp. À esquerda, três deles seguram uma bandeira da UNEafro com a cor amarelo de fundo e faixas de cor preta, vermelha e verde. Ainda na bandeira, uma mão segura um livro que leva os dizeres "Conhecimento é poder".À direita, um dos jovens segura uma placa de honraria.
UNEafro recebendo prêmio na Alesp
Várias pessoas sentadas em cadeiras no formato de roda., dentro de um local fechado. Ao centro, uma mesa com um notebook e um projetor.
Cursinho popular no núcleo Jardim Miriam
Em destaque, um homem negro de máscara que está de frente para a turma. Atrás dele há um quadro branco, com algumas anotações e à sua esquerda duas bandeiras cobrindo a janela.
Uma aula do cursinho pré-vestibular.


Redes sociais[editar | editar código-fonte]

Veja também[editar | editar código-fonte]

Notas[editar | editar código-fonte]